Astrônomos descobrem matéria orgânica no planeta anão Ceres

O material pode chegar a 10% de seu oceano subterrâneo

por João Paulo Martins 15/06/2018 11:57

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Nasa/JPL-Caltech/UCLA/MPS/DLR/IDA/Divulgação
Análise do planeta anão Ceres mostra que ele deve possuir até 10% de matéria orgânica dentro de seu oceano subterrâneo (foto: Nasa/JPL-Caltech/UCLA/MPS/DLR/IDA/Divulgação)
A sonda espacial Dawn, lançada em 2007 pela Agência Espacial Norte-Americana (Nasa), parece ter encontrado grandes quantidades de matéria orgânica no planeta anão Ceres – a missão da nave é analisar este astro, bem como Vesta, outro planeta anão do Cinturãod e Asteroides do Sistema Solar. A descoberta consta de um artigo científico publicado em maio deste ano.

Em março de 2015, a sonda da Nasa capturou imagens de uma montanha em formato piramidal, com cerca de quatro quilômetros de altura, e que apresentava manchas brancas, que, até então, eram um verdadeiro mistério para os cientistas.

Entretanto, agora, foi revelado que esse monte representa, na realidade, um criovulcão extinto e que as áreas brancas eram restos de vapor  de água. Juntamente com outras camadas de gelo que foram encontradas na superfície do planeta, os cientistas chagaram à conclusão de que Ceres possui um oceano subterrâneo.

Segundo a principal autora do estudo, a astrônoma Hannah Kaplan, do Instituto de Pesquisa do Sudoeste (Southwest Research Institute), nos Estados Unidos, a equipe se interessou pela influência que a matéria orgânica na superfície do planeta não poderia ter sobre a composição da água no oceano oculto. Durante a investigação, os pesquisadores descobriram que a composição das rochas na superfície de Ceres é parecida com os condritos carbonáceos que se encontram nos asteroides e, em menor quantidade, na própria Terra.

"Se analisarmos Ceres buscando matéria orgânica 'espacial' parecida à da Terra, o resultado mostrará que, aproximadamente, metade de sua superfície é coberta por consideráveis jazidas desse tipo", comenta Kaplan no artigo científico.

Ainda de acordo com a especialista americana, a quantidade de matéria orgânica no oceano subterrâneo do planeta anão pode ser muito maior do que se imaginava: de 6% a 10%.

Além disso, esses valores podem não ser explicados pelos impactos de asteroides sobre Ceres. Se fosse assim, as quantidades seriam muito pequenas ou os asteroides seriam muito grandes para que o material orgânico pudesse sobreviver ao impacto.

A expectativa é que outras missões espaciais, como a Hayabusa-2, lançada pelo Japão em 1999, e a Osiris-REx, da Nasa, de 2016, ajudem a esclarecer a possibilidade de matéria orgânica em outros corpos celestes do nosso Sistema Solar, especialmente se conseguirem enviar à Terra fragmentos de rochas, que permitirão o detalhamento da composição química dos condritos.

(com Agência Sputnik)

Últimas notícias

Comentários