Publicidade

Estado de Minas DECORAçãO

10 ideias da Casa Cor Minas para você se inspirar

Veja alguns dos belos projetos apresentados na feira de decoração que ocupa um prédio histórico na rua Sapucaí


postado em 14/09/2017 14:45

Ampliar um ambiente, revitalizar um cômodo, dar charme à casa. Não importa qual seja o seu objetivo. É provável que você encontre uma boa ideia em algum dos ambientes da Casa Cor Minas deste ano. Em sua 23ª edição, a mostra tem como tema o Foco no Essencial, reunindo tendências que propõem uma reflexão sobre o que realmente é preciso em uma moradia. Designers, arquitetos e paisagistas mostram o quanto é possível aliar praticidade e bom gosto sem recorrer a exageros. São mais de 40 ambientes projetados por profissionais renomados. Tudo distribuído nos três pavimentos, porão, sótão e jardins de um prédio histórico localizado na rua Sapucaí, 383, no Floresta. O imóvel, que é tombado e vem sendo restaurado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para abrigar o futuro Museu Ferroviário de Belo Horizonte, recebe a mostra até o dia 24 de setembro. Veja algumas das tendências que prometem deixar a sua casa com aquele ar de quem entende do assunto.

Parede de vidro que imita pedra

(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
Você já se acostumou a ver pedras como granito e mármore no chão, certo? O que você provavelmente não pensou foi em colocá-las na parede. Essa é a sugestão de alguns ambientes da mostra, como o loft montado pelo arquiteto Cássio Gontijo. A divisória que parece ser em mármore é, na verdade, um vidro da empresa Sumisura, que se impõe e traz personalidade ao quarto.

Madeira
(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
A tendência de utilizar elementos naturais para compor a decoração não fica apenas por conta das plantas. Em vários ambientes, a madeira dá um toque rústico e aquece o cômodo, além de levar o requinte da matéria-prima. No home office projetado por Cláudia Martins, ela está presente em todos os detalhes, deixando o cômodo moderno e ao mesmo tempo despojado. Para equilibrar o tom escuro da madeira, pode-se optar por elementos de linhas finas ou arredondadas, em suaves variações de rosa, off-white, cru e cinza.

Lâmpadas retrô
(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
Trazendo um toque vintage ao ambiente, essas peças têm um charme próprio e não precisam de luminárias elaboradas para chamarem atenção, como pode ser visto na sala de banho de Rodrigo Aguiar. Com os filamentos à mostra, elas são uma releitura do antigo modelo criado por Thomas Edison no século XIX e, se tiverem uma luz amarelada, são responsáveis por deixar o cômodo mais aconchegante.

Automação
(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
Quer ligar a TV ou o som e controlar o ar-condicionado ou mesmo a iluminação a distância, via celular? Os sistemas de automação possibilitam essas e outras funcionalidades e podem ser instalados em qualquer ambiente. Na cozinha de 50 m2 criada pelas designers de interiores Gabriela Azeredo e Patrícia Pires, aparelhos podem ser controlados também por voz, graças à tecnologia existente em programas como a Siri, da Apple, e Alexa, da Amazon, compatíveis com o sistema de automação desenvolvido pela empresa mineira Live.

Lustres arrojados
(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
Eles não costumam ser baratos. Mas dão requinte e charme ao cômodo, podendo se tornar até mesmo as estrelas do ambiente, dependendo de seu nível de complexidade. É o que acontece na sala de jantar da Situar Projetos, na qual o acessório é o principal responsável por levar modernidade e irreverência ao cômodo. No projeto, assinado por Júnia Bernarnos, Eduardo Henrique Brandão e Rosângela Brandão Mesquita, o requinte dos móveis contemporâneos convive em harmonia com a arquitetura do antigo casarão.

Cinza
(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
O cinza é a cor predominante nos ambientes da mostra.  Seja nos detalhes seja em diferentes tons abraçando um espaço monocromático, como na suíte de Rosane Guedes. Ele está presente em quase todas as montagens e se engana quem pensa que é uma cor monótona. Combinado com detalhes coloridos, o cinza pode deixar os ambientes aconchegantes e contemporâneos. Além de, claro, muito elegantes.

Plantas
(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
Fugindo do convencional, elas não estão em um jardim vertical ou um arranjo de centro, mas espalhadas por todos os lados, como se fizessem parte dos móveis. Colocadas assim, as plantas levam um pouco do frescor da natureza para dentro de casa e podem ser a salvação de quem mora em pequenos apartamentos em grandes centros urbanos. Na cozinheta projetada pela arquiteta Isabela Bethônico, samambaias pendem das prateleiras e combinam com a cortina.

Cadeiras pendentes
(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
Elas são descoladas e praticamente convidam o passante a dar uma pausa para se sentar. Na varanda elaborada por Droysen, Marcelo e Octávio Davis, ela fica harmoniosa com o conjunto e reforça o clima de descontração e relaxamento, em um espaço que se torna ainda mais acolhedor com a paleta de cores em tons de azul, amarelo e um toque de cinza. Também é possível explorar a peça em quartos, salas e áreas de lazer.

Garagem decorada
(foto: Daniel Mansur/Divulgação)
(foto: Daniel Mansur/Divulgação)
Sabe aquelas garagens escuras, sujas de graxa e cheias de ferramentas espalhadas? Elas não são tendência. Mesmo que o espaço não seja tão grande quanto o decorado por Nara Cunha, é possível usar técnicas decorativas para deixar o cômodo arejado, bonito e – por que não? – convidativo. Nesse projeto, o ambiente é vinculado a uma sala com coleções de arte. Por isso a escolha pelas formas simples e cores profundas, para ressaltar os quadros nas paredes.

Móveis baixos
(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
(foto: Jomar Bragança/Divulgação)
Eles ampliam o espaço e dão um aspecto de verticalidade ao ambiente. Na sala projetada por Dodora Gontijo, a mesa de centro de Cláudia Moreira Salles é a principal responsável pela sensação e chama ainda mais a atenção para o pé-direito alto do casarão. A pintura parcial das paredes, com textura metalizada, também ressalta a distância entre o chão e o teto, trabalhando com proporções bem elaboradas e utilizando a verticalidade a favor do projeto.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade