Publicidade

Estado de Minas ESTéTICA | BELEZA

Quais são os tratamentos mais indicados para acabar com as olheiras?

Noites maldormidas e estresse, além do envelhecimento natural, contribuem para o surgimento das desagradáveis marcas ao redor dos olhos


postado em 26/02/2018 14:58

A digital influencer Isadora Guedes, com o dermatologista Lucas Miranda:
A digital influencer Isadora Guedes, com o dermatologista Lucas Miranda: "Usava várias camadas de corretivos para esconder as olheiras. Por isso decidi fazer o preenchimento com ácido hialurônico" (foto: Juliana Foini/Divulgação)
Com o passar dos anos, você se olha no espelho e percebe que algo incomoda. Círculos escuros e muitas vezes cavernosos abaixo dos olhos dão um aspecto de cansaço e abatimento ao rosto. As temidas bolsas também não passam desapercebidas. De nome rebuscado - melanose periorbital -, as olheiras podem ter causa primária (genética) ou secundária (ambiental) e resultam de múltiplos fatores. O estilo de vida é um dos determinantes. Noites maldormidas, estresse, excesso de exposição ao sol, má alimentação, consumo de álcool e cigarros, além do processo natural de envelhecimento, contribuem para o seu surgimento. Fatores genéticos e doenças como rinite alérgica também influenciam. "As olheiras são mais incidentes a partir dos 30 anos e ocorrem porque, com o envelhecimento, a pele perde colágeno, tornando-se mais fina, flácida e translúcida. Além disso, a diminuição do tecido adiposo origina um sulco na região das pálpebras inferiores", explica o dermatologista Lucas Miranda.

Sensível e delicada, a pele do contorno dos olhos possui em média 0,5 mm de espessura, enquanto nas demais partes do corpo chega a 2 mm. Daí o fato de ser a primeira região a dar sinais dos danos sofridos ao longo do tempo. Não por acaso, é cada vez mais comum mulheres utilizarem corretivos para camuflar as olheiras. A boa notícia para quem busca uma solução mais definitiva é que existem opções de tratamentos estéticos. "A começar por cremes que tenham em sua composição vitamina C, cafeína, vitamina K, entre outros componentes que ajudam a recuperar a hidratação e elasticidade da pele", diz a dermatologista Ana Cristina Franco Fulgêncio. Segundo ela, a primeira questão a ser avaliada é qual tipo de olheira será tratada. Atenta à aparência, a digital influencer Isadora Guedes, de 27 anos, herdou da família o aspecto fundo e arroxeado dos olhos, o que acabava atrapalhando a sua rotina. "Como faço muitas fotos, estou sempre usando várias camadas de corretivos para esconder as olheiras", diz. "Por isso decidi fazer o preenchimento com ácido hialurônico." Ela possui a chamada olheira estrutural, que surge quando a pele fica muito fina, tornando possível ver o músculo e até mesmo um assombreado na goteira lacrimal. O mesmo problema é enfrentado pela publicitária Janaina Cipriano, também de 27 anos, que não se conformava com o aspecto cansado do rosto. "Depois que fiz o preenchimento consegui uma expressão bem mais harmoniosa", afirma. "Também apliquei botox nas sobrancelhas e ao redor dos olhos. Agora me sinto muito melhor."

A publicitária Janaina Cipriano não se conformava com o aspecto cansado do rosto:
A publicitária Janaina Cipriano não se conformava com o aspecto cansado do rosto: "Depois que fiz o preenchimento consegui uma expressão bem mais harmoniosa" (foto: Violeta Andrada/Encontro)
Já a chamada olheira pigmentar ocorre em consequência do depósito de melanina na pele e é mais comum em pessoas de pele morena, com tendência genética e alérgica. Nesse caso, a indicação é realizar peeling químico ou com laser, além da utilização de cremes compostos por substâncias clareadoras como alfa arbutin, ácido tranexâmico e ácido tioglicólico. Outro tipo de olheira, a vascular, resulta do aumento de vasos sanguíneos na região, em tonalidades arroxeadas, avermelhadas ou azuladas, e pode ser suavizada com o tratamento de luz pulsada e a utilização de cosméticos à base de cafeína e nodema, que ativam a circulação. Por fim, a olheira mista é a mais comum e traz uma combinação das demais. Por isso requer tratamentos simultâneos, entre eles o laser fracionado.

A esteticista Karina Lousada, da Clínica Pierre, trabalha com a carboxiterapia, técnica realizada por meio de punção com agulha fina, de forma superficial, pela qual é injetado gás carbônico medicinal na pálpebra inferior. "O método melhora a circulação da área e ajuda a eliminar pigmentos e toxinas, além de estimular a produção de colágeno. É indicado para quem tem olheiras associadas à flacidez e linhas finas ao redor dos olhos", diz ela. Aos 33 anos, o cantor Daniel Carlos Teixeira Neves, da dupla sertaneja Thiago e Daniel, começou a se incomodar com sua aparência. "Como faço vários shows por semana, perco muitas noites de sono e as olheiras ficam gritantes", diz. "Gostei dos resultados que tive com a carboxiterapia." Para aqueles que apresentam bolsas de gordura excessivas abaixo dos olhos, a cirurgia pode ser uma boa opção, realizada através da blefaroplastia. Mas a cirurgiã plástica Raquel Virginia orienta: "Com os diversos tratamentos existentes, o procedimento é indicado apenas em último caso, especialmente para idosos que já apresentam flacidez acentuada da pele".

Os tratamentos indicados

  • Peeling - indicado para olheiras com excesso de pigmentação. A substância utilizada no procedimento clareia a pele e elimina as manchas. O peeling mais indicado é o de ácido tioglicólico, que deve ser realizado semanal ou quinzenalmente, em uma média de 10 sessões

  • Drenagem linfática - realizado na área dos olhos para aumentar a microcirculação da região, eliminando o inchaço e as manchas arroxeadas. Os resultados podem ser observados após poucas sessões e deve ser feito periodicamente, de acordo com a necessidade de cada um

  • Laser - trata olheiras que apresentam excesso de melanina, eliminando o pigmento. Luz Intensa Pulsada, Nd-Yag e Rubi são os três tipos de laser mais indicados para o clareamento das olheiras. Além da ação sobre a coloração, estimula o colágeno e melhora a qualidade da pele da região em uma média de 5 sessões

  • Preenchimento com ácido hialurônico - ideal para os casos em que a cavidade do globo ocular é muito funda, escurecendo a região. O preenchimento volumiza e estimula a formação da rede de colágeno, diminuindo a transparência da pele, e escondendo os vasos roxos. O procedimento é realizado em uma única sessão e deve ser refeito a cada 12 meses

  • Carboxiterapia - punção realizada com agulha fina, de forma superficial, pela qual é injetado gás carbônico medicinal na pálpebra inferior. O método melhora a circulação da área e ajuda a eliminar pigmentos e toxinas, além de estimular a produção de colágeno. É indicado para quem tem olheiras associadas à flacidez e linhas finas ao redor dos olhos. São necessárias de 15 a 20 sessões, com periodicidade semanal

Fonte: especialistas consultados

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade