Estilo escandinavo une conforto e modernidade nos ambientes

A proposta de simplicidade e minimalismo deste tipo de decoração é uma forma de aliar aconchego à elegância e atemporalidade

por Marina Dias 24/04/2018 14:38

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Daniela Buzzi/Divulgação
(foto: Daniela Buzzi/Divulgação)
O minimalismo como estilo de vida está em alta. Ele dialoga com conceitos que são a cara dos novos tempos: sustentabilidade, preservação da natureza, combate ao desperdício, aos acúmulos desnecessários e aos gastos e descartes exagerados. Na decoração, isso também se reflete em tendências, e uma das mais badaladas é o estilo escandinavo. Típico dos países mais ao norte da Europa, o estilo já é centenário por lá, onde as pessoas têm culturalmente o hábito de prezar pela funcionalidade e simplicidade nos ambientes. O olhar apurado dos nórdicos para estilo e design se soma muito bem à tendência, que se traduz em uso de tons neutros (branco, creme, cinza), móveis de linhas retas e muito funcionais, valorização da luz natural, opção frequente pela madeira, além da escolha de poucos e bons objetos de decoração.

[FOTO2Para garantir aconchego - já que a proposta é um ambiente simples e de paleta neutra, mas não clean ou frio -, a dica é apostar em materiais e texturas como linho e lã, que aquecem o espaço e podem vir em tapetes, almofadas e estofados. Como o acúmulo não é uma opção nessa tendência, os objetos devem ser escolhidos a dedo. A primeira orientação é buscar aqueles que tenham design funcional e versatilidade (uma banqueta que vira mesinha, por exemplo), além de peças que sejam a cara da residência e de seus proprietários. "O escandinavo ficou em voga porque é uma decoração em que a casa não fica parecendo que veio pronta de uma loja. Esse estilo se preocupa com texturas e objetos colocados na medida certa, que tenham a ver não com modismos, mas com a personalidade do morador", afirma o arquiteto Júnior Piacesi.

A luz natural é outro ponto alto da tendência, já que, na Escandinávia, os dias longos e com sol são poucos, então as pessoas os valorizam muito. Quem não tem a possibilidade de abusar da luz natural em casa pode adaptar a proposta e se valer de painéis de luz artificial (backlights) ou luzes mais baixas, como abajures de mesa, pendentes - e até velas; evite deixar o teto muito cheio.

Gustavo Xavier/Divulgação
(foto: Gustavo Xavier/Divulgação)
Para fugir do ambiente caricato, o estilo não precisa estar 100% presente; pode ser apenas uma inspiração, trazer referências. "De um ano para cá, começaram a entrar alguns tons terrosos, pelo fato de a Pantone ter destacado essas cores", afirma a designer de interiores Cris Araújo. Ela diz ainda que a Casa Cor deste ano traz como tema a natureza dentro dos espaços, assim, também é uma boa investir na presença de plantas nos ambientes. "São tendências que vão se juntando", explica.

O importante é não perder de vista o minimalismo e a simplicidade, traços principais dessa proposta. "Os móveis, objetos e materiais são de qualidade, as ideias são muito bem pensadas, mas o foco não é no luxo. É uma elegância simples", define o designer de interiores Pedro Felix.

Abuse da madeira

A madeira confere sofisticação e aconchego ao ambiente. Sem entulhar o espaço, é uma boa ferramenta para "esquentá-lo". Opte por madeiras de boa qualidade para combinar com a proposta da tendência, como neste projeto das designers de interiores Cris Araújo e Linda Martins.

Escolha tons neutros e claros para móveis


Branco, cinza claro e cremes são bem- vindos nos móveis, como tampos de mesa, sofás, estantes, tapetes. Escolha poucos e estratégicos pontos de cor.

Dê espaço para a luz natural


Como os países nórdicos têm muitos dias frios e longos, a luz natural é um bem precioso, e os escandinavos a privilegiam também na decoração. O ambiente fica agradável e acolhedor, com a vantagem de ainda prezar pela sustentabilidade.

Por que não um backlight?

Quem não tem possibilidade de aproveitar a luz natural pode se valer de artifícios, como este backlight do projeto do designer de interiores Pedro Felix, feito com uma tela tensionada à frente de 70 metros de fitas de LED com baixa potência.

Paleta neutra

Paredes, teto e chão também devem estar com tons claros. Vale um tapete mais escuro, alguns objetos-chave que chamem a atenção, mas o geral do ambiente deve passar essa sensação de claridade e tranquilidade que as cores neutras proporcionam.

Nada de curvas

Nas estantes, móveis e demais peças, opte sempre que possível por designs de linhas e ângulos retos. Essa orientação ajuda no efeito visual mais limpo, minimalista e elegante.

Clima intimista

Além da luz natural, a escolha das luzes artificiais tem de ser cirúrgica. Uma dica é optar pelas luzes baixas, com pendentes, como neste projeto do arquiteto Júnior Piacesi, e abajures, deixando o teto menos poluído.

Fuja de acúmulos

O minimalismo dá o tom nesta tendência, então prepare-se para escolher aqueles objetos mais funcionais, versáteis e com personalidade para decorar o ambiente. Escolhidos a dedo, ficam inclusive mais em evidência do que se tivessem de competir com muitos outros.

Dê textura ao ambiente

Para que o espaço não fique clean ou frio, e sim aconchegante, pode-se investir em texturas, como lã e linho. Os materiais cabem em diversos formatos, como tapetes, almofadas e estofados.

Últimas notícias

Comentários