Publicidade

Estado de Minas VEÍCULOS

Saiba tudo sobre a Roma Spider, novo conversível da Ferrari

O superesportivo é o primeiro de quatro novos modelos que a marca italiana deve lançar em 2023


postado em 02/05/2023 13:59 / atualizado em 02/05/2023 14:09

Velocidade máxima do novo modelo vai além dos 320 km/h: bólido pode acelerar de 0 a 100 km/h em 3,4 segundos(foto: Ferrari/Divulgação)
Velocidade máxima do novo modelo vai além dos 320 km/h: bólido pode acelerar de 0 a 100 km/h em 3,4 segundos (foto: Ferrari/Divulgação)
A Ferrari revelou o Roma Spider, o primeiro de quatro novos modelos a serem lançados neste ano. O 2+2 da Ferrari é o primeiro conversível "soft top" roadster com motor dianteiro da marca desde 1969, quando lançou o 365 GTS4. O motor é um V-8 de 3,9 litros turbo com potência de 620 cv; o mesmo que equipa o Roma Coupé, lançado em 2019. A velocidade máxima vai além dos 320 km/h e pode acelerar de 0 a 100 km/h em 3,4 segundos. O motor está acoplado com uma caixa de câmbio de dupla embreagem e oito marchas, também usada no modelo “Purosangue”, crossover de quatro portas. O Roma Spider pesa 1.556 kg, 84 kg mais do que a versão coupé. As entregas no mercado europeu são esperadas antes do final do ano.

O preço básico na Itália será em torno de 250 mil euros (cerca de R$ 1,38 milhão): no Brasil os rumores dizem que chegará por R$ 5 milhões(foto: Ferrari/Divulgação)
O preço básico na Itália será em torno de 250 mil euros (cerca de R$ 1,38 milhão): no Brasil os rumores dizem que chegará por R$ 5 milhões (foto: Ferrari/Divulgação)
O preço básico na Itália será em torno de 250 mil euros (cerca de R$ 1,38 milhão). No Brasil os rumores dizem que chegará por R$ 5 milhões. O Roma coupé, que custa na Itália 209.705 euros (R$ 1,15 milhão), é o modelo de menor preço da Ferrari. A principal diferença de design em relação ao coupé é o formato da cabine e o teto retrátil de tecido. O teto retrátil abre (ou fecha) em 13,5 segundos e pode ser acionado com o veículo em movimento na velocidade de até 60 km/h.

(foto: Ferrari/Divulgação)
(foto: Ferrari/Divulgação)
As modificações do Roma Spider exigiram também uma nova geometria para o spoiler móvel na parte superior traseira da carroceria. Suas dimensões menores permitiram minimizar a perda de espaço do porta-malas em relação à versão coupé. O Roma Spider tem porta-malas com capacidade de 255 litros, enquanto a do coupé é de 272 litros. Ele recebeu também um defletor de vento integrado ao encosto do banco traseiro, que pode ser acionado de um botão no console central.

(foto: Ferrari/Divulgação)
(foto: Ferrari/Divulgação)
A Ferrari tem uma longa tradição na produção de roadsters, seja como modelos exclusivos ou como derivados de coupés esportivos. A gama atual inclui o Portofino M e F8 Spider com propulsores V8 (ambos na fase de descontinuidade), o híbrido V-6 296GTS, o híbrido V-8 SF90 Spider e o V-12 812GTS. Diferente do Roma Spider, todos têm teto rígido.

A Ferrari não divulga os volumes de vendas por modelo. De acordo com a consultoria Dataforce, 981 unidades do Roma foram vendidas na Europa em 2022, menos que as 1.057 unidades entregues em 2021. O Roma é o segundo mais vendido modelo do fabricante italiano na Europa, atrás do F8 sport coupé equipado com motor V-8. No Brasil, a Ferrari vendeu 31 unidades em 2019 e 30 em 2020, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores (Abeifa). Em 2021, a marca italiana deixou de ser associada. Segundo a revista Quatro Rodas, que não cita a fonte, em 2021 as vendas da Ferrari no Brasil caíram para 16 unidades e em 2022 foram emplacados 22 carros no país. Desses, o líder foi o F8 Spider com oito unidades, seguido pelo Roma coupé, com quatro.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade