Publicidade

Estado de Minas GASTRONOMIA

Varanda 1389 abre unidade no Buritis com um investimento de R$ 2,5 milhões

Estabelecimento investe em comidas que fazem parte das preferências dos brasileiros, como estrogonofe, feijoada, e tropeiro


postado em 15/12/2023 15:06

Os sócios Bernando Fonseca, Fernanda Fonseca e Rodrigo Cataldi: fenômeno do delivery, casa envia cerca de 800 pratos por dia para a casa dos clientes(foto: Pádua de Carvalho/Encontro)
Os sócios Bernando Fonseca, Fernanda Fonseca e Rodrigo Cataldi: fenômeno do delivery, casa envia cerca de 800 pratos por dia para a casa dos clientes (foto: Pádua de Carvalho/Encontro)
Comida que brasileiro gosta de comer. É assim que o sócio Rodrigo Cataldi define o cardápio do Varanda 1389, localizado na divisa entre o Santo Agostinho e Lourdes. Tem estrogonofe, feijoada, parmegiana... "Além de ser muito bem-feita é o tipo de comida que todo mundo adora", diz. Na hora do almoço, o sistema é self-service. Por R$ 99, o quilo (de segunda a sexta) e R$ 119 (sábados, domingos e feriados), o cliente pode se esbaldar em mais de 150 opções, sendo 50 de pratos frios e mais de uma centena de quentes. "Tem sempre um risoto. O mais pedido é o mineiro, preparado com carne de sol, couve, pimenta biquinho, linguiça e requeijão. E o de camarão ao pomodoro também", explica Rodrigo. Com capacidade para 200 pessoas, o restaurante conta com uma equipe de 75 funcionários, sendo 25 na cozinha, comandados pela chef executiva Clarice Ferreira e Silva.

Além de atender a clientela nas mesas, o Varanda 1389 cresceu para além do salão durante a pandemia. Assim que foi decretado que as portas dos estabelecimentos deveriam ser fechadas, Rodrigo e seus sócios, o casal Fernanda e Bernardo Fonseca, montaram o serviço de delivery em apenas quatro dias. "Eu já tinha um certo conhecimento porque fui o fundador e franqueador do Creps, com mais de 100 lojas espalhadas pelo Brasil", explica Rodrigo, referindo-se à marca que ficou sob seu comando até 2017. Se os bares, restaurantes e lanchonetes precisavam de 90 dias para se cadastrar na plataforma de entrega, ele arrumou um jeito de fazer seu login e colocar o cardápio para rodar. "Não dava para esperar com o estoque todo parado", completa.

Inaugurada há cinco anos no Santo Agostinho, casa acaba de abrir filial no Buritis: investimento de 2,5 milhões de reais(foto: Pádua de Carvalho/Encontro)
Inaugurada há cinco anos no Santo Agostinho, casa acaba de abrir filial no Buritis: investimento de 2,5 milhões de reais (foto: Pádua de Carvalho/Encontro)
No início, eram 50 pedidos diários. Logo, esse número subiu para 200. Foi quando o trio resolveu montar uma cozinha de produção exclusiva para atender o delivery. Com um investimento de 400 mil reais, a nova estrutura foi criada para suprir uma demanda que não parava de crescer. Para se ter uma ideia, atualmente o espaço envia cerca de 800 pratos por dia para a casa dos clientes. Entre os mais queridinhos estão o frango à milanesa (R$ 49,90), servido com arroz branco, feijão e batata frita; e o filé mignon com arroz sujo (R$ 69,90), arroz molhado no caldo de carne, bife acebolado e batata frita. Mexidão (R$ 46,90) e o clássico tropeiro (R$ 46,90) também estão nessa lista.

Já a partir das 17h, o Varanda passa a atender no melhor estilo happy hour. Tem música ao vivo todos os dias com estilos variados: na terça, por exemplo, é pop nacional e internacional, já no sábado, das 19h30 às 22h30 o que reina é rock antigo. Há também promoções de bebidas em dobro. Na quarta é vez do vinho e na quinta, chope. "Investimos mais em tira-gostos, mas há também pratos à la carte para quem prefere jantar", diz Rodrigo. Entre os belisquetes, as iscas de frango ao Catupiry (R$ 59,90) dividem espaço com o tradicional torresmo (R$ 49,90). Se a ideia é pegar mais leve, vale experimentar o ceviche de salmão (R$ 74,90) ou o carpaccio (R$ 59,90). Há ainda opções de espetinhos e cortes preparados na parrilla. A picanha maturada (R$ 99,90) é temperada com creme de alho e vem com vinagrete e farinha na manteiga com alho. Pizzas, sanduíches e crepes completam o cardápio. Para matar a fome de verdade, há mais de 30 pratos, divididos entre arrozes, massas e uma categoria chamada "Sem perder a tradição, combinações que os brasileiros mais gostam!". Ali estão alguns preparos que fazem parte da gastronomia do país como o picadinho de mignon, acompanhado de arroz branco, feijão, farinha e batata frita (R$ 64,90).

Feijoada, estrogonofe e bife à milanesa: alguns dos pratos que caem nas graças dos frequentadores das duas unidades(foto: Pádua de Carvalho/Encontro)
Feijoada, estrogonofe e bife à milanesa: alguns dos pratos que caem nas graças dos frequentadores das duas unidades (foto: Pádua de Carvalho/Encontro)
Inaugurado há cinco anos no Santo Agostinho, o restaurante acaba de ganhar mais uma unidade no Buritis. Para colocar de pé o projeto com 1,20 mil metros quadrados e capacidade para 380 pessoas, foi preciso um investimento de 2,5 milhões de reais. O esquema de funcionamento é o mesmo do estabelecimento original, com algumas melhorias. "Fizemos uma sociedade com o bufê Tagarela e temos um espaço kids com monitor o tempo todo. Oferecemos desde pintura no rosto para os pequenos até videogame para os adolescentes", afirma Rodrigo. Para desfrutar do serviço, o valor é cobrado a parte e começa em R$ 15, a hora. Durante a parte da manhã também há uma cafeteria para atender ao público com lanches rápidos. As cozinhas também são divididas para o atendimento de entrega e salão e a casa já começa a funcionar com 85 funcionários. "A ideia é ainda abrir mais uma unidade na Pampulha. Assim conseguimos atender boa parte de Belo Horizonte", diz Rodrigo.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade