Publicidade

Estado de Minas TURISMO

Capitólio retoma posto de um dos principais destinos do país no verão

Reunindo tradição, história e uma variedade de atrações turísticas, a região investe em capacitação profissional


postado em 16/01/2024 15:18 / atualizado em 16/01/2024 15:18

No Lago de Furnas, passeios de lanchas, bares flutuantes e os suntuosos cânions são uma atração à parte: agora com monitoramento e fiscalização reforçados(foto: Prefeitura de Capitólio/Divulgação)
No Lago de Furnas, passeios de lanchas, bares flutuantes e os suntuosos cânions são uma atração à parte: agora com monitoramento e fiscalização reforçados (foto: Prefeitura de Capitólio/Divulgação)
Uma região com cores, cheiros, texturas e sabores impregnados pela história. Em um raio de aproximadamente 100 quilômetros, os municípios de Capitólio, São João Batista do Glória e São José da Barra, situados no sudoeste de Minas, a cerca de 300 quilômetros da capital e ao lado da Serra da Canastra, acumulam belezas naturais a perder de vista, além de uma variedade de atrativos turísticos. Cercada por belíssimas paisagens, brindadas com um pôr do sol alaranjado de encher os olhos e toda a hospitalidade do povo mineiro, Capitólio - nomeada como a Rainha dos Lagos - é um destino como poucos. Daqueles que oferecem tantas opções que uma visita só não basta. São mais de 30 atrações, onde é possível percorrer longas trilhas ladeadas pela vegetação típica do cerrado, com destino certo para as várias cachoeiras de água cristalina em tonalidades verde esmeralda.

O cenário, perfeito para a prática do ecoturismo, atrai desde jovens aventureiros, ávidos por adrenalina, a famílias inteiras em busca de prazerosos momentos de lazer e descanso. E tem atrativos para todos os gostos. De lúdicos passeios de balão aos badalados passeios off-road em carros 4x4, até uma descida radical na maior tirolesa de Minas Gerais, com 1 quilômetro de extensão. Do alto do Mirantes dos Cânions, o cenário extasiante é um convite à contemplação. Esculpido em meio às rochas, o Lago de Furnas é palco de divertidos passeios de lancha, escunas e chalanas, com paradas nos charmosos bares flutuantes e piscinas naturais. No centrinho da cidade, além dos restaurantes, a orla da lagoa conta com uma praia artificial ideal para fazer aquela caminhada descompromissada ou, ainda, o que o mineiro mais gosta: parar em um barzinho para tomar aquela cervejinha gelada e comer um tradicional petisco.

Uma das opções são os lúdicos passeios de balão: para quem não tem medo de altura(foto: DaMata Balonismo/Divulgação)
Uma das opções são os lúdicos passeios de balão: para quem não tem medo de altura (foto: DaMata Balonismo/Divulgação)
A gastronomia local é uma atração à parte, marcada com uma iguaria que rende saborosos pratos: a tilápia. Criada no lago da represa, é servida recheada nos restaurantes da cidade. Nas cozinhas dos estabelecimentos, a maioria dos insumos utilizados são de produtores da região, a exemplo do café e da traíra sem espinhos. Com tanta diversidade, não demorou muito para que o trade turístico da região movimentasse uma indústria que gera emprego e renda para vários municípios do entorno. Atrativos que levaram Capitólio a estar entre os principais destinos turísticos do país para a próxima temporada de verão. "Nos unimos para superar desafios com responsabilidade, sustentabilidade e profissionalismo, e estamos celebrando o crescimento contínuo do número de turistas", diz Gustavo da Mata, presidente da Associação dos Empresários de Capitólio (ASCATUR). Através do Projeto Arca, a instituição, que conta com a adesão de mais de 110 empresas do setor turístico, investiu mais de 1 milhão de reais na cidade em 2023.

Os números impressionam, com taxas de ocupação que chegam a 100%. Pesquisa do booking.com apontou a cidade no top 10 dos destinos mais procurados para as férias de fim de ano no Brasil, sendo a única cidade sem praia na lista. Excelente notícia, já que ainda está na memória de muitos o acidente ocorrido em janeiro de 2022, quando dez pessoas morreram e mais de 30 ficaram feridas após o deslizamento de parte de rochas de um cânion, que atingiu quatro lanchas. No mês seguinte, o governo de Minas e parceiros lançaram o "Reviva Capitólio - Viva o Mar de Minas", com temas voltados para a capacitação e regulamentação de uso e ocupação dos cânions e suas águas, visando promover a segurança de trabalhadores e turistas, e fomentar o turismo. "Investimos no treinamento dos pilotos e equipes de turismo, exigindo o uso de colete salva vidas e capacetes durante os passeios de barco, reforçando a fiscalização das embarcações, o monitoramento dos cânions por geólogos. Tudo para aumentar a segurança", diz o prefeito, Cristiano Silva. Para o empresário Vitor Oliveira Vasconcelos, sócio-proprietário da pousada Escarpas Eco Village, a cidade está na melhor fase do turismo. "Não só porque temos tido faturamento recorde, mas também pela qualificação do turista e profissionalização do trade de maneira geral." Segundo ele, em outubro deste ano a ocupação média foi de 80,60% e a previsão é de que os meses de dezembro, janeiro e fevereiro sejam ainda melhores.

Nos municípios de Capitólio, São João Batista do Glória e São José da Barra o que não faltam são cachoeiras para visitar: trilhas ecológicas, passeios de triciclo, visitas a mirantes e descidas em tirolesa fazem parte das atrações locais(foto: Leonardo Murta/Divulgação)
Nos municípios de Capitólio, São João Batista do Glória e São José da Barra o que não faltam são cachoeiras para visitar: trilhas ecológicas, passeios de triciclo, visitas a mirantes e  descidas em tirolesa fazem parte das atrações locais (foto: Leonardo Murta/Divulgação)
Quem acompanhou de perto as alegrias e tristezas que se seguiram ao desenvolvimento do município de Capitólio, que atualmente conta com 10.380 habitantes, foi o casal Luiz Carlos de Pádua e Ana Maria de Oliveira Pádua. Há 35 anos à frente da direção do pioneiro Restaurante do Turvo, fundado em 1963, eles destacam a importância histórica da região. "É preciso saber da grandiosidade de uma inundação de 1.440 quilômetros quadrados de terra produtiva para que o país se desenvolvesse em tempo recorde", diz Luiz Carlos. "O nosso povo cedeu essa terra que ficou debaixo da água. O que nos restou foi apostar no turismo."

Na fazenda Água Limpa, o premiado queijo da Canastra é feito de forma artesanal: com direito a visita dos turistas(foto: Fazenda Água Limpa/Divulgação)
Na fazenda Água Limpa, o premiado queijo da Canastra é feito de forma artesanal: com direito a visita dos turistas (foto: Fazenda Água Limpa/Divulgação)
Foi lá que surgiu a Usina Hidrelétrica de Furnas, uma das maiores da América Latina. A construção foi iniciada em 1958, no governo de Juscelino Kubitschek, com a pretensão de gerar um terço da capacidade energética do país. O objetivo era abastecer São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, principais centros socioeconômicos nacionais à época. Um projeto necessário para evitar um colapso energético na década de 1960. A empreitada deu certo. O progresso, contudo, cobrou o seu preço e cerca de 8 mil propriedades rurais foram desapropriadas para a construção da barragem que abrange 34 municípios. Assim nasceu o Lago de Furnas, o maior em extensão de Minas Gerais e um dos maiores lagos artificiais do mundo, com até 450 metros de profundidade. Entre história e tradição, a região de Capitólio segue superando as adversidades e se estabelecendo como polo turístico.

Para o empresário Vitor Oliveira Vasconcelos (à esq., com seu pai, Adriano Rodrigues, e Bruno Ayres Rodrigues), da pousada Escarpas Eco Village, a cidade está na melhor fase do turismo:
Para o empresário Vitor Oliveira Vasconcelos (à esq., com seu pai, Adriano Rodrigues, e Bruno Ayres Rodrigues), da pousada Escarpas Eco Village, a cidade está na melhor fase do turismo: "Não só porque temos tido faturamento recorde, mas também pela qualificação do turista e profissionalização do trade de maneira geral" (foto: Leo Murta/Divulgação)
Dono de algumas embarcações, Marco Antonio da Silva cativa os turistas com simpatia, brincadeiras e simplicidade, mas quando se trata de segurança, fala sério. Há sete anos no ramo de turismo, ele e a família se tornaram grandes empregadores na região. Juntos, contam também com hostel, camping, fábrica de laticínios e fazenda de gado. "Somos os primeiros interessados em tornar o nosso turismo ainda mais seguro", diz. Em Capitólio, são mais de 100 locais para hospedagem, com opções de hotéis e pousadas dos mais simples aos mais sofisticados, áreas de camping, hostel e preços que cabem em todos os bolsos. Quem quiser esticar um pouco mais pode aproveitar a visita para dar um pulo na Serra da Canastra - a cerca de 100 quilômetros dali - e conhecer um pouquinho mais sobre a produção do premiado queijo Canastra, com selo de autenticidade e sabor original.

Na Fazenda Água Limpa, localizada a 16 quilômetros de Capitólio, no município de Piumhi, a produção de queijos já está na quinta geração da família do engenheiro ambiental Igor Messias da Silva. Por lá a tradição é mantida com satisfação. "Criamos uma marca com o nome de nosso pai, o Queijo Dinho, ganhamos medalhas no Brasil e na França e agora estamos de porteiras abertas aos turistas", diz. Não por acaso, o queijo canastra foi eleito o melhor do mundo em 2022. O esforço para reviver Capitólio tem dado certo e até o mineiro, conhecido por gostar mesmo é de uma boa prainha, tem se rendido ao "Mar de Minas".

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade