Publicidade

Estado de Minas MEIO-AMBIENTE

Japão vai retomar caça às baleias

País decidiu deixar a Comissão Internacional da Baleia


postado em 27/12/2018 10:42 / atualizado em 27/12/2018 09:25

(foto: Pexels)
(foto: Pexels)

Os ativistas ambientais receberam uma notícia ruim na última quarta, dia 26 de dezembro. Yoshihide Suga, secretário-geral do gabinete do governo do Japão, em comunicado à imprensa, informou que o país vai se retirar da Comissão Internacional da Baleia (IWC, na sigla em inglês). Segundo ele, o Japão pretende retomar a caça comercial a partir de julho de 2019, seguindo os métodos da IWC para calcular as cotas para determinar o número de baleias capturadas.

Yoshihide Suga diz que há mais de 30 anos os japoneses procuram meios de promover a caça sustentável de baleias, mas sem sucesso nas negociações com os países contrários à medida. De acordo com ele, o Japão caçará baleias apenas em suas águas territoriais e zonas econômicas exclusivas, sem avanços para o oceano Antártico nem no Hemisfério Sul.
A retirada do Japão da IWC entrará em vigor em 30 de junho se notificar o governo dos Estados Unidos até 1º de janeiro de 2019. Os americanos estão encarregados de aceitar pedidos de adesão ou retirada da comissão.

O governo japonês planeja ainda enviar delegações para alguns países contrários à caça de baleias em busca de "compreensão".

O Japão suspendeu a caça comercial em 1988, de acordo com uma moratória da IWC de 1982. O país, segundo informações oficiais, captura baleias apenas para fins de pesquisa.

Representantes japoneses propuseram retomar a atividade baleeira comercial mais de 20 vezes nos últimos anos, alegando que o número de algumas espécies se recuperou. Mas essas tentativas foram bloqueadas por nações anticaça.

(com Agência Brasil e emissora NHK)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade